ARTIGOS

HOME    >    ESCRITÓRIO > ARTIGOS > COOPERATIVISMO, MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

[   SERIE COOPERATIVISMO  ]

1.png

COOPERATIVISMO, MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

A demanda do desenvolvimento sustentável na constante busca pela sustentabilidade situa-se cada vez mais no planejamento e na organização de um empreendimento o que não seria diferente no cooperativismo. Cada vez mais necessário, encontra-se presente nos discursos e projetos tanto de empresas ou cooperativas que se comovem e procuram por alternativas para um crescimento e um desenvolvimento equilibrado. Porém é necessário que não fiquem apenas nos discursos devendo distanciar-se do campo teórico, para a pratica diária e efetiva,

 

É consistente afirmar que bons projetos tendem e se desdobrarem em boas ações efetivas para a sociedade e para o meio ambiente, estas afirmações deixam de ser apenas uma estratégia de marketing e passam ser um fator obrigatório ao se pensar nas ações dentro do sistema cooperativista.

 

Em 1972, o Dia Mundial do Meio Ambiente foi celebrado no dia 5 de junho e desde então a data tornou-se o marco estabelecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas, como ferramenta para despertar a atenção de pessoas, povos e países para a importância da conscientização e da preservação ambiental.

 

Mas no seguimento cooperativista, a questão ambiental é e sempre foi uma preocupação constante e é sempre tratada como uma diretriz de trabalho. O cooperativismo adota práticas sustentáveis em seu processo organizacional e produtivo. Mas as ações extrapolam o âmbito da instituição, as cooperativas incentivam seus cooperados o cuidado para com o meio ambiente.

 

Desenvolvendo diversas ações e atividades neste sentido, tais como: plantio de árvores, ações coletivas e institucionais de recolhimento de embalagens vazias e lixos recicláveis, ações de proteção das nascentes, o tratamento de efluentes, a busca por modelos produtivos não poluentes, a adoção de tecnologias mais adequados tanto para o cultivo como para o manejo de culturas, entre outras.

 

Nos dias atuais falamos muito sobre o meio ambiente, nas mídias, salas de aulas, nas artes e no próprio lar, o cuidado com o meio ambiente está sempre presente, secas em lugares onde a água era abundante e inundações e lugares áridos, tem despertado mesmo que forçadamente uma consciência coletiva em relação ao meio ambiente. E muito se ouve a palavra sustentabilidade. Mas afinal o que é sustentabilidade e qual sua ligação com o meio ambiente e o próprio cooperativismo?

 

A palavra “sustentável” deriva do latim sustentare (sustentar, defender, apoiar, conservar, cuidar).

 

Assim, após um grande período de estudos e discussões teóricas a Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e o Desenvolvimento definiu em seu documento batizado de : “Relatório Nosso Futuro Comum”, o conceito de desenvolvimento sustentável ficou então precisado que é: “...aquele que satisfaz as necessidades presentes, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades.”

 

Perceba-se quão meritório e fato da sustentabilidade reivindicar de forma congruente o surgimento de uma consciência mais humana, não só ligada ao meio ambiente, mas com esta intercooperada. Para ser sustentável, é facultado, antes, reconhecer que não estamos sozinhos no planeta e que as gerações futuras, e não a de séculos a frente, mas a de hoje, nossos filhos e netos, dependerão dos mesmos recursos naturais que nós precisamos e consumimos. De outra maneira, é necessário ponderar que as necessidades do próximo precisam ser plausíveis de realização tanto quanto as nossas, e que existe uma escassez de recursos no planeta terra.

 

No momento que compreendemos esta necessidade estamos um passo de entender que é neste ponto que o conceito sustentabilidade interpela-se ao conceito de cooperativismo. Consideramos que o cooperativismo como entendemos na pratica e filosoficamente trata-se de um modelo socioeconômico, que nasce, como o respectivo nome diz, da cooperação entre indivíduos/pessoas com objetivos e metas comuns que para alça-las se ajudam mutuamente em busca de mais benefícios para todos. Na prática o cooperativismo é cooperação ao invés da competitividade, essa visão mais humana do cooperativismo se aparelha sincronismo exigido para a preservação dos bens naturais.

 

Regido por o condigo de conduta, princípios e valores enraizados em sua filosofia que conduzem e efetivam o cooperativismo conduzem em seu âmago os instrumentos de mitigação, de apropriação, adaptação e de transmissão de conhecimento e tecnologia, canalizados em seus princípios os quais podemos destacar dois deles, por serem a base de nossa matéria, que são os princípios:

ü  da intercooperação e;

ü  o cuidado pela comunidade.

 

Desestruturando assim pelas consequências que desencadeiam uma vez sejam aplicadas com a quebra vertebral da insustentabilidade, neste cenário a insustentabilidade é herança de sistemas econômicos mercantilista e capitalista. Quando nos referimos a sustentabilidade, geralmente somos a remetidos de forma simplória a vincular unicamente está a preservação do meio ambiente. No entanto, sustentabilidade engloba dimensões aquém das ambientais.

 

É necessário que lutemos pela disseminação do cooperativismo, não só como uma doutrina economicamente viável, mas pela busca de um modelo econômico mais humano, colaborativo e sustentável, e devemos resguardar sempre que para que seja considerado sustentável, não deve ser limitado apenas a uma ação ecologicamente correta, é necessário ser seja economicamente viável, socialmente justo e culturalmente diverso.

 

 

Por Rogério Iorio

Diretor Marketing e Sustentabilidade

 

Central Brasileira das Cooperativas Educacionais

 

Acesse: www.cebracoope.com.br

[ Mais ]

[     TEU DEVER É LUTAR PELO DIREITO, MAS NO DIA EM QUE ENCONTRARES O DIREITO EM CONFLITO COM A JUSTIÇA, LUTA PELA JUSTIÇA     ]   

Eduardo Couture